27 de ago de 2011

Produção de Texto - Literatura infanto juvenil

Nenhum comentário
O primeiro exercício do semestre na disciplina de Língua Portuguesa não poderia ser diferente, uma produção textual. Nos mostrando os passos básicos a serem seguidos antes de se iniciar um produção de texto completa, o professor foi bem rigoroso na hora de avaliar o que havia sido pedido. As regras básicas passada foram construir um texto de acordo com um pré-planejamento, seguindo o sistema abaixo:

Tema --> Projeto de Dizer --> Planejamento --> Texto --> Reconhecimento dos sujeitos

Após um explicação sobre o que se deveria desenvolver em cada um desses passos, o professor liberou a escolha de tema, obviamente sendo sobre um que já tivéssemos algum domínio, e eu com a minha nem tão recente assim obsessão por livros e histórias, decidi escrever sobre a literatura infanto juvenil. A seguir somente o texto, mas a produção completa pode ser vista clicando aqui :

Tema: 
Literatura Infanto juvenil

Quem nunca se imaginou voando? Ou jamais envelhecendo? Encontrando um príncipe encantado? Ou até mesmo fazendo magia? Este é poder da literatura sobre a imaginação humana. Fazer-nos imaginar em histórias quase sempre impossíveis, nos encantar com o desconhecido, emocionar, apaixonar e até mesmo desejar intensamente viver naquele mundo onde tudo parece ser tão especial. É isso que a literatura nos proporciona a cada vez que abrimos um livro, a cada vez que começamos um novo capítulo...
                A literatura infanto juvenil, como o próprio nome já diz, é dedicada especialmente a crianças e adolescentes com histórias culturais, poemas, novelas e outras, sendo as mais notáveis as fictícias, que são rotuladas de tal maneira pelo seu poder de atrair até mesmo adultos a ler e se encantar por esse gênero. Por ser denominada infanto juvenil, este tipo de literatura praticamente se divide em duas: Para crianças entre dois e dez anos que possuem características comuns, como a ausência de temas adultos (crimes, guerras), histórias curtas com a presença de figuras e estímulos visuais (cores, imagens, fotos), escrita em linguagem simples de caráter didático, tendo geralmente crianças como protagonistas tendo sempre um final feliz; E para adolescentes, que possuem características como temas interessantes para jovens (sexo, drogas, violência, relacionamentos amorosos), personagens da mesma faixa etária e são basicamente apenas textos, possuindo um maior número de páginas, de 200 a 300 na maioria das vezes.
                A literatura infantil tornou-se um gênero durante o século XVII quando houve uma mudança na estrutura da sociedade. Seu aparecimento decorreu da ascensão da família burguesa, do novo status concedido a infância na sociedade e da reorganização da escola, mas antes de tudo, à sua associação com a pedagogia, já que as histórias eram usadas como instrumento dela. Todo esse processo deu início à consciência de que a criança era diferente do adulto, com necessidades e características próprias como receber uma educação diferenciada que a preparassem para a vida adulta, coisas que até então nunca haviam sido discutidas. Desde então, esse gênero vem caminhando durante os séculos a passos médios, e no XX quase parou o que preocupou muito todos os profissionais envolvidos na produção desse entretenimento. Mas em 1997, ouve uma grande mudança nesse cenário, surgia naquele momento um inexplicável fenômeno que literalmente encantaria crianças, jovens e até mesmo adultos, os quais eram pegos constantemente lendo seus exemplares de Harry Potter por trás de jornais e revistas.
É impossível falar sobre a literatura infanto juvenil na atualidade sem citar tais obras de J.K. Rowling, esta brilhante autora que revigorou e despertou o interesse das pessoas, perdido a muito para computadores e video-games, impulsionando de forma nunca antes vista o consumo da literatura. Obrigada  por este grandiosos feito J.K. Rowling! Após plantar e colher grandes frutos, essa semente abriu as portas para um mundo encantado. Trazendo consigo um novo pensamento, ela iniciou o século XXI com ótimas perspectivas de continuidade desse gênero que passou a ser sólido na sociedade atual sendo-lhe empregado muito mais valor e respeito, encorajando vários outros escritores e leitores a investir nesse tipo de história, afinal, “a vida não teria graça sem alguns dragões...” (Ron Weasley, Harry Potter and the globet of fire’s movie).

Seu comentário é muito importante, obrigada!

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial